28/05/2013

É tempo de estudar!


Hoje estou aqui por um motivo diferente. Nessa e na outra semana terei várias provas na faculdade e preciso estudar, pois são as últimas provas (antes das finais) do período, ou seja, vão decidir tudo!
Já era esperado que eu não tivesse tempo nessa época de provas, então estou aqui para dar satisfações para os que visitam esse blog, pois nessa semana e na outra não teremos posts, a não ser que eu arrume um tempinho pra vir aqui e postar algo legal pra vocês, mas não prometo nada. :(
Depois desses dias espero trazer notícias boas e posts melhores ainda!


Obrigada pela compreensão e não abandonem o blog!
Beijos 

26/05/2013

Filme de domingo: Tomboy


Nesse domingo o filme indicado é Tomboy, é um filme francês dirigido por Céline Sciamma, fala sobre Laure (Zoé Héran) é uma garota de 10 anos, que vive com os pais e a irmã caçula, Jeanne (Malonn Lévana). A família se mudou há pouco tempo e, com isso, não conhece os vizinhos. Um dia Laure resolve ir na rua e conhece Lisa (Jeanne Disson), que a confunde com um menino. Laure, que usa cabelo curto e gosta de vestir roupas masculinas, aceita a confusão e lhe diz que seu nome é Mickaël. A partir de então ela leva uma vida dupla, já que seus pais não sabem de sua falsa identidade.

O filme trata de um assunto polêmico, a homossexualidade, mas de um jeito diferente, pois é sob o olhar de uma criança, onde tudo é inocente e sem segundas intenções, digamos assim, a protagonista Laure passa por um enorme conflito, confusa com quem ela realmente é e com quem ela sente ser. O filme tem mesmo a intenção de retratar o universo infantil (principalmente o universo de Laure), pois só as crianças tem nomes, os adultos pouco aparecem, a visão desse universo consegue superar qualquer preconceito que se tenha sobre o assunto, mesmo assim, seja qual for sua opinião, vale a pena assistir. 
O filme tem uma fotografia muito bonita, poucos diálogos e muito sensibilidade, ele diz muito em poucas palavras.





Alguém já assistiu? O que achou?
Espero que tenham gostado!
Beijos 

24/05/2013

Música de sexta: The Kooks


A dica de hoje é a banda The Kooks! Vocês conhecem? A banda é britânica e foi formada em 2004, quando eles ainda estudavam, entre idas e vindas de integrantes por problemas diversos (do tipo, problema no nervo do braço do integrante Paul Garred) os atuais são esses da foto acima, da esquerda pra direita: Hugh Harris, Luke Pritchard, Pete Denton e Paul Garred. A banda já tem três álbuns.
Já faz um bom tempo que gosto das músicas da banda, é um indie rock muito cool e fica melhor ainda com o sotaque britânico do vocalista Luke Pritchard. Todos os vídeos deles são muito bons, e lógico, as músicas são melhores ainda, dá pra aprender rápido e ficar o dia inteiro cantando! ♥ Como o que importa mesmo são as músicas, algumas que eu selecionei seguem abaixo:

"Naive" The Kooks:


"She moves in her own way" The Kooks:


"Ooh la" The Kooks:


"Is It Me" The Kooks:


"Junk Of The Heart" The Kooks:


Quem quiser acompanhar a banda: site oficialtwitter e facebook.




Já conheciam a banda? O que acharam?
Quem quiser me acompanhar no 8tracks, clica aqui.
Espero que tenham gostado!
Beijos 

23/05/2013

O estilo retrô de Zooey Deschanel


Acho que já deixei claro em alguns posts aqui o meu amor pelo retrô/vintage. Não quero falar sobre "moda" porque confesso que não sou uma expert em "tendências", mas como compartilhar tudo que eu gosto faz parte do conceito do blog, o estilo retrô de Zooey Deschanel se aplica totalmente aqui!
Zooey é multitalentosa, é atriz, é cantora e ainda dança nos vídeos da banda que ela faz parte,  She & Him, que eu já falei sobre, aqui. Além de se vestir super bem e ser uma fofa de carteirinha.
Saias, cintura marcada, sapatilhas, meia-calça, tudo isso se repete muito nas combinações de Zooey, mas sempre de um jeito diferente, fofo e claro: retrô! Então se prepara para se inspirar muito nas fotos abaixo:

No dia-a-dia ou nos sets de filmagem, sapatilhas estão sempre nos seus pés, e o "mix" de estampas as vezes também marca presença (amo muito!):


Para eventos, saltos básicos e vestidos encantadoramente femininos:



Nos red carpets a Zooey é sempre glamourosa com seus longos cheios de detalhes, o último vestido não dá pra perceber nessa foto, mas ele é listrado (super fofo né?):


A maquiagem de Zooey é clássica, delineador no estilo "gatinha" e batom ou vermelho ou tons de rosa bem delicados, que nem ela! :)





O que acham de posts sobre esse assunto?
Quem quiser me acompanhar no polyvore, clica aqui.
Espero que tenham gostado!
Beijos 

21/05/2013

Top 4: Livros que viraram filmes


Toda vez que eu leio um livro e depois sai o filme dele, eu sempre vibro de alegria, pois gosto demais tanto de livros quanto de filmes, juntando os dois então... E vocês? Separei quatro livros que viraram filmes, (foi bem difícil escolher só quatro) mas eu poderei, talvez, fazer outros top 4 desse mesmo tema.

"Água para elefantes" por Sara Gruen e filme dirigido por Francis Lawrence:

O livro tem duas edições brasileiras (você pode vê-las aqui), conta a história de Jacob (Robert Pattinson), aliás, ele mesmo conta sobre sua juventude no circo, aos 23 anos ele era só um estudante de veterinária perto de se completar sua graduação, mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro, o que o impede de terminar a faculdade. Sem dinheiro e sem casa, ele acaba entrando num trem em movimento do circo Irmãos Benzini, onde é admitido para cuidar dos animais. É no circo onde Jacob vai se apaixonar duas vezes: Por Marlena (Reese Witherspoon), a bela estrela no número dos cavalos, e por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo.
O livro é comovente, a narrativa é extremamente sensível ao leitor, e o clima de circo vintage eu acho particularmente lindo! O que mais me conquistou no filme foi o fato dele ser especialmente fiel ao livro. O filme é tão justo perante ao livro que eu nem sei de qual gosto mais.


"O diabo veste Prada" por Lauren Weisberger e filme dirigido por David Frankel:

O livro tem três edições brasileiras (você pode conferi-las aqui). A autora do livro, Lauren, trabalhou para ninguém mais ninguém menos que Anna Wintour (logo, qualquer semelhança é sim uma coincidência!). O livro conta a história de Andrea Sachs (Anne Hathaway), uma jornalista recém-formada que conquista um emprego que deixaria qualquer garota morrendo de inveja: assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep) uma reverenciada editora de uma revista de moda famosa, a Runway Magazine. Quando ela percebe que esse tal emprego que milhares de meninas queriam, pode acabar com a vida dela. Da noite pro dia, Andrea se vê num universo diferente do qual costumava viver, onde as palavras Prada, Armani e Versace são lei. Descobre que o mundo da moda não é tão glamouroso assim. Ao invés de escrever reportagens ela vai servir para atender aos caprichos da editora chefe da revista, sobre os quais são os mais mirabolantes possíveis.
Sobre o filme, eu nunca consegui cansar de assisti-lo, mesmo sendo de 2006 ele continua super atual, com roupas ainda usáveis (enquanto a gente torce o nariz para as roupas das novelas do vale a pena ver de novo da mesma época do filme). O filme é bom? É sim, mas o livro é muito melhor! Mais conflituoso, engraçado e cheio de enrascadas, em suma, mais detalhado, com mais situações que o filme. Só mais uma coisa que preciso ressaltar: Meryl Streep arrasa em qualquer papel, não é verdade?!

Melhor cena do filme: (Desculpe, não achei a cena legendada):



"As vantagens de ser invisível" por Stephen Chbosky e filme dirigido por Stephen também:

Eu já falei do livro aqui. Acho que Stephen realizou um sonho dirigindo um filme que ele mesmo escreveu. Elenco brilhante, mesmo Emma Watson não atendendo às características de Sam no livro, ela se saiu super bem, não tinha outro ator melhor pra fazer Charlie se não Logan Lerman e Ezra Miller me impressionou como Patrick. Como vocês já devem saber: Charlie (Logan Lerman) é um jovem que tem dificuldades para interagir em sua nova escola. Com os nervos à flor da pele, ele se sente deslocado no ambiente. Sua professora de literatura, no entanto, acredita nele e o vê como um gênio. Mas Charlie continua a pensar pouco de si... até o dia em que dois amigos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), passam a andar com ele.
Apesar do filme ter o elenco que tem e ser dirigido pelo próprio Stephen, eu fico o livro.


A saga "Harry Potter" por J.K Rowling e filmes por diversos diretores:

Claro que não poderia faltar a saga "Harry Potter", constituído por sete livros e oito filmes, mais três livros sobre o tema mas não especificamente sobre Harry. Não há um filme ou um livro que eu não goste, o mundo que J.K. Rowling criou é brilhante demais, e aí vem os filmes com seus diretores ótimos e tornam realidade da torneira da câmara secreta até a cabana mágica dos Weasley, e muito mais, claro. A saga chegou ao fim, mas sempre haverá os livros e os filmes para relembrar as aventuras de três amigos que cresceram junto com a gente. Nunca vou esquecer a abertura da Warner Bros e muito menos a narrativa de J.K. Rowling, com personagens tão sólidos e marcantes.
Não vou colocar nenhum trailer porque o post ficaria muito grande, mas se quiserem saber mais sobre a saga visitem o site Potterrish, lá tem muita coisa legal sobre os filmes, os livros, a autora e muito mais.




E vocês, de qual desses gostam mais?
Tem alguma dica de um livro que virou filme?
Se quiser me acompanhar no skoob clica aqui.
Espero que tenham gostado!
Beijos 

20/05/2013

Resenha (Chick-lit): Todo garoto tem (Meg Cabot)


Mais uma resenha de um Chik-lit, a primeira e a segunda você pode encontrar aqui e aqui, respectivamente. E pela segunda vez temos Meg Cabot para ser resenhada, isso porque quase todos os meus chick-lits são dela. "Todo garoto tem" é da série/trilogia "Boy/Garoto" que inclui além desse citado, "O garoto da casa ao lado" e "Garoto encontra garota". O livro é escrito de uma maneira diferente, o que pode estranhar no início, é em forma de e-mails e de um diário de viagem, muito divertido né! :)
A nossa protagonista dessa vez é a cartunista Jane Harris, ela está louca para ir à Europa pela primeira vez, especialmente como madrinha do casamento secreto da sua melhor amiga Holly. Mas quando Jane conhece o jornalista cético no amor, Cal (grande amigo do noivo), é ódio a primeira vista, e nenhum dos dois ficam felizes com a ideia de passar uma semana dividindo a mesma casa, mesmo sendo no interior da Itália! E quando a cerimônia corre o risco de não acontecer, Jane e Cal precisam esquecer as brigas para ajudar os amigos!
É divertidíssimo como tem que ser um chick-lit, o jeito descontraído como é escrito torna a leitura ainda melhor e mais pessoal. Entre e-mails, palmtop e diário de viagem tem também notas fiscais de compras, cartões de táxis, passaporte e várias outras coisas que deixam a história mais pertinho do leitor. É um enredo digno de sessão da tarde que não tem como não gostar. Na capa do livro, embaixo, tem a seguinte frase pela Publishers Weekly "Os fãs de Meg Cabot irão devorar este fofo e divertido conto de fadas moderno.", a mais pura verdade, devorei em um pouquinho mais de um dia, bem no clima de viagem, comprei na livraria do aeroporto, e li entre voos e espera no desembarque, (quando cheguei ao meu destino, só restava o finalzinho). Achei que poderia ter mais personagens (mas entendo o fato de que eles estavam num lugar onde nem se falava a mesma língua que eles), apesar disso os quatro personagens principais são ótimos e bem encaixados.
Sobre a edição, a fonte muda toda hora de acordo com a mudança de e-mails para diário, essa misturinha deixa a leitura bem dinâmica. Margem e espaçamento ótimos. Só um ponto negativo (mas nem tão negativo assim): folhas brancas.

Se quiser saber mais sobre Meg Cabot: site oficial e twitter (ela segue os fãs!)


Quem quiser me acompanhar no skoob clica aqui.
Espero que tenham gostado!
Beijos 

17/05/2013

Música de sexta: The White Stripes


Sexta-feira passada, enquanto eu estava fazendo esse post sobre She & Him, lembrei da banda The White Stripes! Então deixei eles pro post de hoje. Vocês conhecem? A banda é norte-americana e foi formada em 1997, é compostnda a por Jack White e Meg White. Uma pena que a banda já tenha se separado (em 2011), lançaram oito discos ao longo dos anos. As cores vermelho, branco e preto marcam o estilo da banda, que de acordo com Jack é a combinação de cores mais poderosa de todos os tempos, da coca-cola até uma bandeira nazista.
O primeiro vídeo é da música "Seven Nation Army", a mais conhecida deles, pra ir logo se familiarizando:

  

The White Stripes - "The Denial Twist":


The White Stripes - "The Hardest Button to Button":


Vocês lembram desse episódio dos Simpsons? :)





Alguém aí tem alguma dica de uma banda formada por um casal também?
Quem quiser me acompanhar no 8tracks, clica aqui.
Espero que tenham gostado das músicas!
Beijos 

15/05/2013

TAG: Alfabeto literário


Hoje vou responder mais uma TAG, dessa vez o blog que me marcou foi o Cachola literária, as regras da TAG são: Você deve escolher cinco letras aleatórias e mandar uma sequência diferente para cada blog que você indicar, o blog que receber a TAG deve escolher cinco livros que comecem com as letras que foram indicadas (os artigos não contam! Então se o nome do livro for "O trio" a letra considerada será T), o número de blogs indicados depende de cada um, na ausência da letra indicada o espaço fica em aberto mas na ausência de todas elas, o blog pode fazer sua própria lista.

A minha sequência de letras: BUGSO

Com a letra B, tenho o livro "A biblioteca mágica de Bibbi Bokken" por Jostein Gaarder e Klaus Hagerup. A capa é fofíssima e o livro mais fofo ainda, assim como em "As vantagens de ser invisível", o livro é escrito em forma de cartas, mas nesse caso as cartas são entre dois primos através de um diário. A história é acerca de atitudes suspeitas de uma mulher misteriosa numa biblioteca. Nas cartas os primos investigam sobre a estranha Bibbi Bokken. Esse livro é como uma trama policial, onde os detetives são crianças! :)

Com a letra G, tenho o livro "A garota americana" por Meg Cabot, esse foi o mais fácil, isso porque tenho quase toda a coleção "Boy/Garoto" de Meg Cabot, mas acabei escolhendo "A garota americana" (que não faz parte dessa série) porque eu AMO esse livro (foi o primeiro livro que eu li), é uma edição mais ou menos antiga, de 2005, que eu particularmente prefiro, ainda não tenho o segundo volume dele "Quase pronta", mas já o li, e é ótimo também. A protagonista é Samantha Madison, ela é uma adolescente de 15 anos cheia de problemas, vive oprimida pela beleza da irmã mais velha e pela inteligencia da irmã mais nova, até que um dia resolve matar a aula de arte e, por acaso, salva a vida do presidente dos Estados Unidos de uma tentativa de assassinato. E agora sendo uma celebridade internacional, sua vida vira de ponta a cabeça.

Com a letra S, tenho o livro "Segredros da minha vida em Hollywood: na locação" por Jen Calonita. Esse é o volume dois da série de mesmo nome constituído por 4 livros, ganhei só o segundo, queria muito lê-lo e já tentei, mas acabei não entendendo nada, :( então só poderei ler quando tiver pelo menos o primeiro livro. Com a letra S também tenho "O segredo de Emma Corrigan", já falei dele aqui.

Com a letra O, tenho o livro "O ovo apunhalado" por Caio Fernando Abreu, nunca foi muito fácil, pra mim pelo menos, achar os livros de Caio F. Abreu, então quando encontrei esse tive que levar! É um livro de contos aleatórios, e cada um tem sua perfeição individual, sua melancolia e doçura, afinal, como diz na orelha do livro "O leitor pode até estranhar, a princípio, sua pedras e asperezas. Mas logo passa a gostar demais de viver dentro do universo de Caio. Porque ele sabe conduzir o leitor para dentro de si.".

Ps: Não coloquei nenhum livro com a letra U porque não encontrei.

Blogs indicados:
- Uma dose de palavras (ACKJL)
- Livros e universos (BFOSM)
Café com leituras (LETNZ)
Addiction on books (IHGRU)
Jornalismo na Alma (DWPVA)




Quem quiser me acompanhar pelo skoob, clica aqui.
Espero que tenham gostado!
Beijos 

14/05/2013

Ilustração: Emily Winfield Martin


Não sei se o assunto desse post vai ser rotineiro, eu apenas me deparei com essas ilustrações lindas e queria compartilhar aqui. As ilustrações são de Emily Winfield Martin, ela já publicou dois livros ("Oddefellow's Orphanage" e "The black apple's paper doll primer") aqui você pode encontrar as capas e sinopses dos livros.
O que me chamou a atenção nas inlustrações de Emily Martin foi os tons suaves (pêssego e creme), e o estilo vintage do personagens, em ambientes que remetem ao circo, ou até mesmo à um conto de fadas como "Alice no país das maravilhas". Como eu sei que o que importa mesmo nesse post são as ilustrações, não vou me estender muito.










Quem quiser acompanhar o trabalho de Emily, o seu blog é esse aqui. Também é possível comprar suas pinturas, nesse site aqui.

Espero que tenham gostado,
e se você quiser dar alguma dica de ilustração,
vou adorar conhecer!
Beijos 

Resenha (Chick-lit): O segredo de Emma Corrigan (Sophie Kinsella)


Como já disse aqui, vou postar uma resenha de um chick-lit por semana. Essa foi a vez de "O segredo de Emma Corrigan" por Sophie Kinsella, acho que assim como Meg Cabot (esse post) muitos de vocês já devem conhecê-la. Os chick-lits dela são muito populares, eu ainda não li muitos dela, apenas esse e "Os delírios de consumo de Becky Bloom", mas pretendo ler outros como "Lembra de mim?" e "Samantha Sweet, executiva do lar".
O livro fala sobre Emma Corrigan que gosta de guardar segredos, sobre si. Muitos deles são sobre seu trabalho e seu namorado. Tudo desmorona numa viagem de avião turbulenta onde ela pensa que vai morrer e acaba desabafando seus segredos para o bonitão ao lado, ao fim da viagem Emma pede desculpas ao vizinho de assento achando nunca mais voltará a vê-lo. Eis que, no dia seguinte ela se depara com Jack Harper, fundador de uma corporação em visita ao escritório britânico (onde Emma trabalha) e é aí que a história toda começa a ficar complicada para ela.
O livro é engraçadíssimo, lembro de ter dado muitas risadas com as situações constrangedoras em que Emma se envolve, mas também tem seus momentos de romantismo suspirantes!  A leitura flui facilmente, tanto que o li em alguns dias (bem menos de uma semana), simplesmente não deu pra largar a história. O final, como muitos chick-lits, é previsível, mas o bom do livro não é como a história vai terminar e sim o desenrolar dela, as enrascadas divertidas e o jeito fofo como Emma lida com as situações.
Gosto das capas simples dos livros de Sophie Kinsella, as páginas são brancas, a margem interna não é boa, mas em compensação a fonte tem um tamanho ótimo! O livro foi publicado pela editora Record e tem 383 páginas dividas em 27 capítulos.

Para saber mais sobre Sophie Kinsella: site oficial.


Quem quiser me acompanhar no skoob, clica aqui.
Espero que tenham gostado!
Beijos 

13/05/2013

Wishlist: Livros

Apesar de ter adquirido muitos livros este mês, minha wishlist só cresce, separei cinco livros que eu mais quero no momento para postar aqui e saber a opinião (de quem já leu ou não) sobre os livros.

1. " A culpa é das estrelas" por John Green: Nunca li nenhum livro desse autor e estou vendo tantas opiniões positivas sobre ele que a muito tempo é o número 1 na minha wishlist. Quando tive a oportunidade de tê-lo ainda esse mês não tinha na livraria, que pena.
Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.


2. "A probabilidade estatística do amor a primeira vista" por Jennifer E. Smith: Amo chick-lits, precisa dizer mais? Sem contar que a capa é linda demais, né.
Sinopse: Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

3. "Ela foi até o fim" por Meg Cabot: Tem que ter na minha wishlist algum livro de Meg Cabot, isso nunca falta e não é proposital. Acho que esse livro não é muito novo, mas só fui conhece-lo a pouco tempo, gostei da sinopse e não precisa saber muito mais que isso pra saber que eu quero muito!
Sinopse: Lou Calabrese é uma roteirista de sucesso, já escreveu vários roteiros de ação que renderam milhares de dólares de bilheteria e até ganhou um Oscar! O problema é que seu namorado, o grande astro do filme, resolveu deixa-la pela estrela principal, e agora lhe resta provar que conseguirá passar por tudo para esquecê-lo. O que ela não esperava é que esse "tudo" significasse atentados contra a sua vida e sobreviver numa montanha congelada com o homem que mais odeia na face da Terra como único companheiro... Será que ela vai sobreviver a está aventura? E será que, no final, encontrará o verdadeiro amor?

4. "Quem poderia ser a uma hora dessas?" por Lemony Snicket: É o mesmo autor de "Desventuras em série", nunca li os livros (apesar de ter muita vontade), mas gosto muito do filme. Gostei da sinopse e de algumas resenhas que li, a capa é linda e o livro parece ser bem criativo! Esse é o volume 1, o que indica logicamente que terão mais! yay! Quero muito tê-lo na minha estante.
Sinopse: Em uma cidade decadente, onde se criam polvos para a produção de tinta, onde há uma floresta de algas marinhas e onde um dia funcionou uma redação de jornal em um farol, um jovem Lemony Snicket começa o seu aprendizado em uma organização misteriosa. Ele vai atender seu primeiro cliente e tentar solucionar o seu primeiro crime, aos comandos de uma tutora que chama carro de “esportivo” e assina bilhetes secretos. Lá, ele vai cair na árvore errada, vai entrar no portão errado, destruir a biblioteca errada, e encontrar as respostas erradas para as perguntas erradas - que nunca deveriam ter passado pela cabeça dele. Ele escreveu um relato sobre tudo o que se passou, que não deveria ser publicado, em quatro volumes que não deveriam ser lidos. Este é o primeiro deles.

5. "As virgens suicidas" por Jeffrey Eugenides: Sempre gostei muito do filme, assisti sem saber que vinha de um livro, desde então quero o livro, mas, nunca comprei porque as capas à venda nunca me agradaram, então surgiu essa! E eu quero demais agora.
Sinopse: O cenário é o de um típico subúrbio americano dos anos 70. Mas são as forças de Eros e Thanatos que atuam em As virgens suicidas, envolvendo o leitor numa história original, narrada por uma espécie de coro semelhante ao das tragédias gregas.
Durante uma festa em sua casa, Cecilia Lisbon, uma garota de 13 anos se joga de uma janela do segundo andar sobre a cerca de ferro. Como uma maldição, num período de um ano, todas as cinco irmãs Lisbon cometem suicídio. Comprimidos, enforcamento, todas as formas são válidas para que, uma a uma, Lux (14), Bonnie (15), Mary (16) e Therese (17) encontrem seu caminho para a morte.
A tragédia marca tanto a rotina da vida local que uma investigação é levada a cabo pelos garotos da vizinhança. Passados 20 anos, eles reúnem um mórbido acervo de evidências, que vão desde entrevistas com parentes até diários e boletins de química. Mas os detetives amadores, determinados a descobrir qual a razão daquelas mortes, lutam para achar as peças deste quebra-cabeça que é a alma feminina.



Espero que tenham gostado, se tiverem alguma opinião, positiva ou negativa,
vou ficar muito feliz em lê-la.
Quem quiser me acompanhar no Skoob clica aqui.
Beijos 



TAG: Incentivo à leitura

Fui marcada para responder uma TAG sobre incentivo à leitura, na verdade, fui marcada para mais duas TAGS, mas para não ficar muito cansativo três posts sobre quase o mesmo assunto seguidamente, eu vou postá-las aos pouquinhos.
Fui marcada pelo blog Etc e tal livros e filmes.
As regras da TAG são: Postar o laço no blog, indicar 10 blogs, avisar os blogs indicados sobre a TAG, responder a pergunta: "Qual livro você indicaria para uma pessoa começar a ler?", comentar no blog que te indicou a TAG.

O primeiro livro que eu li foi "A garota americana" por Meg Cabot, eu não indicaria um livro em especial, mas sim, Meg Cabot em geral, ela tem livros para todos os gostos, comédia, romance, suspense, aventura... As opções são muitas, e Meg tem uma narrativa bem fácil de ler e entender.
Não é muito fácil para quem não costuma ler, começar logo de cara com um clássico da literatura, mas se você acha que é muito "madura(o)" para Chick-lits no estilo de Meg Cabot e quer encarar um clássico eu indico dois: "A insustentável leveza do ser" por Milan Kundera e "100 anos de solidão" por Gabriel García Márquez. Milan Kundera é filosófico enquanto que Gabriel García conquista com sua narrativa de histórias lindas, mirabolantes, improvavelmente prováveis, engraçadas, tristes, misteriosas, tem de tudo mesmo!

Blogs marcados para a TAG:
♥ Livros e chocolate quente
♥ Amigas entre livros
 Meu mundinho fictício
 Cachola literária
♥ Descobrindo livros
♥ Le pont.
♥ Nerdices de uma garota
♥ Livros e chocolate
♥ Livros y viagens
♥ Leitor maníaco


Espero que gostem das indicações!
Beijos 

12/05/2013

Filme de domingo: Mary and Max


Como o domingo é conhecido por ser bem monótomo, um filme é sempre uma boa ideia, e todo domingo postarei uma dica de filme, que tal?
Hoje, o filme é "Mary and Max" escrito e dirigido por Adam Elliot. Conta a história de dois amigos por correspondência que se conhecem bem por acaso, Mary Daisy Dinkle tem oito anos e mora na Austrália, através de uma página aleatória numa lista telefônica ela conhece Max Jerry Horowitz que tem 44 anos e mora em Nova York, Max tem a Síndrome de Asperger, é um transtorno parecido com o altismo, suas características mais comum são: dificuldade de interação social e de expressar emoções, interpretação literal da linguagem, dificuldade com mudanças em sua rotina, entre outras. Ambos muito solitários iniciam uma amizade muito bonita e duradoura onde entre essas cartas circulam desenhos, fotos, presentes, barras de chocolates, dúvidas e respostas.



É um filme muito sensível, e chega a ser depressivo, indiscutivelmente emocionante, ao mesmo tempo que é ironicamente engraçado, o filme em stop-motion da uma característica única aos personagens, na Austrália o "mundo" de Mary tem cores terrosas e em Nova York Max vive em cores cinzentas, o que deixa as diferenças de "mundo" bem proporcionais. É um filme para absolutamente qualquer idade ou personalidade. O filme cativa de verdade! Sem contar que é baseado numa história real.


Espero que tenham gostado da dica, 
se quiserem me dar outras opções de filmes eu iria gostar muito!
Fiquem agora com a comida preferida de Max abaixo:


Beijos 

10/05/2013

Música para sexta-feira: She & Him

Toda sexta pretendo postar alguma dica de música! Que tal? Hoje vai ser She & Him, acho que muita gente já sabe quem é a vocalista né? É a Zooey Deschanel que também é atriz (Série New girl, por exemplo) e o guitarrista é M. Ward que também participa da produção da banda.
Bom, eu escolhi as minhas preferidas, do segundo volume, (She & Him já tem 4 volumes incluindo o "A very She & Him Christmas!).




A Zooey é uma fofa, as música mais ainda, adoro esse toque vintage que eles dão aos videos e na minha opinião às músicas também, a primeira vez que eu vi a Zooey cantando foi no filme "Sim, senhor", e já amei mesmo a música sendo uma completa comédia. Já podemos querer todos os volumes? Sim ou claro?

Espero que tenham gostado, se quiserem me dar dicas de músicas, vou amar,
Bom fim de semana para todos!
Beijos 

09/05/2013

Resenha (chick-lit): A rainha da fofoca (Meg Cabot)

Pra quem não sabe, Chick-lit são livros sobre mulheres para mulheres! Geralmente lidando com muito humor e sinceridade os conflitos, desejos e temores das mulheres de hoje em dia que ficam cada vez mais independentes mas não desistem da busca pelo romance. É o tipo de livro que se lê em um dia, sabe quando a leitura flui? Pois é.
Toda semana vou resenhar um Check-lit, até os meus Check-lits acabarem (e até lá espero adquirir novos!).

O primeiro é "A rainha da fofoca" por Meg Cabot:

Esse livro ainda tem mais dois volumes, "A rainha da fofoca em Nova York" e "A rainha da fofoca fisgada", mas esse com certeza é o meu preferido! Eu gosto tanto dele que vez ou outra me pego relendo os trechinhos mais fofos (que eu sempre marco nos livros).
O livro fala sobre Lizzie Nichols que tem um problema: ela não consegue ficar de boca fechada.  Mas ao que parece as coisas estão dando certo porque assim que ela pegar o diploma da faculdade ela poderá embarcar para Londres e curtir as férias ao lado do namorado inglês. Mas as coisas não acontecem bem como ela planejava, além de ter uma monografia pela frente ela descobre que o namorado não é mais como antes... E agora ela está presa num país estranho com uma passagem que não pode ser ressarcida, mas é claro que nem tudo está perdido, sua melhor amiga Shari está ajudando seu namorado na organização de um casamento no Sul da França em um Castelo do século XVII. Lizzie não tem outra escolha, embarca em um trem a caminho do lindo Château Mirac, propriedade de um amigo de Chaz que, aliás, é um gato. Mas graças a sua habilidade de não fechar a boca, arruma uma encrenca e precisa descobrir como provar que sua boca grande pode salvar o dia.
Lizzie é um amor de pessoa, apesar de não conseguir guardar segredos, Meg Cabot caprichou nessa personagem, lembro que gostei muito do seu estilo, pela descrição de Meg, são roupas muito bonitas e cheias de personalidade (afinal, Lizzie acaba de se formar em moda), como sua monografia é sobre história da moda, em cada capítulo temos um trecho de sua monografia, e não são informações fúteis não, tá? São bem interessantes. Senti muita raiva do namorado inglês de Lizzie, mas muito orgulhosa por ela ter se valorizado e caído fora. Bom, eu não quero me estender muito, mas já me estendendo...
O livro físico é lindo como vocês podem ver na foto, todos os outros volumes seguem o mesmo padrão, só com fotos diferentes, as páginas são amareladas (amo!), espaçamento ótimo, tudo muito bom!

E agora só um trechinho da monografia de Lizzie, pra vocês terem uma ideia do que eu falei:

"Roupas. Porque as usamos? Muita gente acredita que usamos roupas por causa do pudor. Nas civilizações antigas, no entanto, as roupas foram desenvolvidas não para esconder nossas partes intimas, mas simplesmente para manter o corpo aquecido. Em outras culturas, acreditava-se que as roupas protegessem quem as usava da magia; em outras ainda, tinha sentido apenas ornamental ou de exibição. Nesta monografia, minha intenção é explorar a história do vestuário, ou da moda, começando com os homens da antiguidade, que usavam peles de animais para se aquecer, até o homem (ou mulher) de hoje, sendo que algumas dessas pessoas usam pequenas tiras de algum material entre as nádegas (consulte: fio-dental) por razões que alguém ainda terá que conseguir explicar a esta autora."

Se quiser saber mais sobre Meg Cabot: site oficial e twitter (ela segue os fãs!)

É isso, espero que tenham gostado, 
quem quiser me acompanhar pelo Skoob é só clicar aqui.
Beijos 

08/05/2013

Resenha: As vantagens de ser invisível por Stephen Chbosky


A sensibilidade do narrador Charlie me comoveu. Antes de lê-lo eu naturalmente li algumas resenhas e soube que o livro era escrito em forma de cartas e que Charlie não diz para quem essas cartas são mandadas, a principio eu logo pensei que era para o seu amigo morto, Michael (assisti o filme antes de ler o livro), mas depois que comecei a ler percebi que estava errada, pois ele deixa claro que seu destinatário existe e está vivo, bom, não sei se isso muda muita coisa, mas o que eu gosto de pensar é que Charlie escreve para “nós”.
Outras coisas me chamaram muita atenção positivamente, como, por exemplo, o modo como o Stephen Chbosky desfaz totalmente a ideia de que: homem não chora. O que é muito bom, pois essa ideia não corresponde à verdade, os homens desse livro choram e isso não os faz menos homens. Outra coisa é a valorização da amizade e a lealdade. Como os amigos são importantes na vida de alguém, não importando que idade se tenha. A única diferença é que Charlie sente as coisas mais do que a maioria das pessoas, e isso pode ser muito bom, mas também pode ser muito ruim. Este livro me fez com toda certeza querer ser uma pessoa melhor e mais sincera (outra coisa que o livro frisa).




Sobre o livro físico, as folhas são brancas (o que eu não gosto muito), mas em compensação as letras são relativamente grandes e o espaçamento é ótimo! As orelhas são largas (bom para quem gosta de marcar os livros com a orelha). Escolhi a capa com os atores do filme como vocês podem ver na primeira foto.


Ps: O livro da boas referencias de livros, filmes e principalmente músicas, considerei Asleep - The Smiths a música principal do livro por desencadear uma frase memorável: "Eu me sinto infinito". Acho que todos deveriam escutar, então, a música segue abaixo:




Quem quiser me acompanhar pelo Skoob é só clicar aqui.
Espero que tenham gostado!

Beijos 

07/05/2013

Meta de leitura: Maio


Ainda estamos na primeira semana do mês então achei que não era tarde demais pra postar a minha meta de leitura do mês. Desde que eu fiquei sabendo sobre o filme "As vantagens de ser invisível" eu já fiquei empolgada tanto pelo elenco (Emma Watson), quanto pelo título que eu achei muito interessante, logo depois eu soube que tinha um livro escrito por Stephen Chbosky, yay! Entrou pra minha wishlist, ganhei, li (em 3 dias) e foi direto pra minha lista de favoritos. O próximo é "Morte Súbita" por J. K. Rowling, estou lendo no momento e gostando muito, afinal, tem como não gostar de J. K. Rowling? O terceiro da fila é "Extraordinário" por R. J. Palacio, não li nenhuma resenha sobre ele, aliás, nunca havia ouvido falar sobre este livro, mas quando me deparei com ele e li sua sinopse fiquei muito interessada pois aborda um assunto que eu nunca tive a oportunidade de ler nada sobre (um garoto com uma deformidade facial). "O lado bom da vida" por Matthew Quick parece ser bom, não vi o filme (ainda bem) porque do contrário o livro perderia a graça e estou louca para lê-lo, parece ser aquele tipo de livro que se lê em um dia  . E por último mas não menos importante, "Anna e o beijo francês" por Stephanie Perkins, parece ser um daqueles romances bem previsíveis mas que não deixa de ser uma ótima leitura.

Pra quem estiver interessado em algum desses, vou colocar a Sinopse de todos aqui embaixo:


- "As vantagens de ser invisível" por Stephen Chbosky:
Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras - são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude.

- "Morte Súbita" por J. K. Rowling:
Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque.
A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra.Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista.A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, Morte Súbita é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling, autora de mais de 450 milhões de exemplares vendidos.
Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, sua esposa negando-se a aceitar revê-lo e seus amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora um viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. 
À medida que seu passado aos poucos ressurge em sua memória, Pat começa a entender que "é melhor ser gentil que ter razão" e faz dessa convicção sua meta. Tendo a seu lado o excêntrico (mas competente) psiquiatra Dr. Patel e Tiffany, a irmã viúva de seu melhor amigo, Pat descobrirá que nem todos os finais são felizes, mas que sempre vale a pena tentar mais uma vez.
Um livro comovente sobre um homem que acredita na felicidade, no amor e na esperança.

- "Extraordinário" por R. J. Palacio:
August Pullman, ou Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... Até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mas ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

- "O lado bom da vida" por Matthew Quick:
Pat Peoples, um ex-professor de história na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele "lugar ruim", Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um tempo separados.

- "Anna e o beijo francês" por Stephanie Perkins:
Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto que tem namorada. Ele e Anna se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer? 

Bom, o post ficou bem maior do que eu estava planejando, mas espero que tenham gostado! Quem quiser me acompanhar no Skoob é só clicar aqui.

Beijos